Selma Uamusse apresenta Mati ao vivo

Selma é uma cantora versátil, conhecida no meio desde o rock (WrayGunn) ao afrobeat (Cacique’97), passando pelo gospel, pela soul e pelo jazz (Gospel Collective, tributos a Nina Simone e Miriam Makeba e Rodrigo Leão).

​ Agora apresenta ao vivo, um ano depois do lançamento do seu álbum de estreia, a cantora e compositora moçambicana Selma Uamusse tem agendados uma série de concertos em 2019, a partir de 1 de Fevereiro, no Theatro Circo, em Braga (21h30), e que continuam em Castelo Branco, no Cine-Teatro Avenida, dia 2, às (21h30), em Lisboa Lux, dia 7, (23h), no Porto na Sala 2 da Casa da Música, dia 8, (23h) e ainda em São João da Madeira na Casa da Criatividade, dia 9, (22h).

Este primeiro álbum a solo de Selma Uamusse é, o documento de uma mulher em busca assumida da sua africanidade e da sua moçambicanidade, Mati, que significa “água” no dialeto moçambicano changana. Editado em 2018, é um reflexo de todos os seus mundos, entre as machambas de Moçambique, os clubes nocturnos europeus e a energia do rock; entre línguas e ritmos tradicionais africanos e a produção electrónica carregada de psicadelismo; entre timbilas e sintetizadores…

Mais do que a voz, Selma Uamusse é uma performer com uma energia contagiante, em palco, a sua entrega é avassaladora e o público não fica indiferente à profundidade da sua voz com toda a sua alma.  

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.